Acesse as melhores dicas
e informações do mercado
USA Nova York Giro pelo mundo - Postada em: 12/06/2019

Arranha-céus espelhados serão proibidos em Nova York

Evitar construção de edifícios com esse tipo de fachada foi solução de prefeitura local para reduzir pegada de carbono

 

Maior centro financeiro do mundo, Nova York adotou o NYC’S Green New Deal, um plano de ação para reduzir a emissão de poluentes, reduzir a pegada de carbono na metrópole e outras iniciativas de sustentabilidade e conscientização ecológica.

Uma das medidas do plano tem despertado a atenção, principalmente do mercado imobiliário e de arquitetos. A prefeitura local não vai mais permitir a construção de prédios com fachada de vidro e aço, os chamados “edifícios espelhados”.

Segundo o prefeito, Bill de Blasio, alguns prédios com esse perfil nunca deveriam ter sido erguidos. Segundo ele, essas torres contribuem imensamente para o aquecimento global, com maior emissão de gases de efeito estufa. O governante declarou que os problemas ecológicos são mais causados pelos edifícios, e não os carros.

Quem descumprir a regra poderá receber multas de até US$ 1 milhão por ano. A medida tem causado alvoroço, já que a paisagem nova-iorquina é marcada pelos arranha-céus espelhados.

Todavia, de Blasio explica que, se uma construtora quiser construir um grande prédio, poderá usar todo o vidro que quiser, desde que reduza as emissões de poluentes. De acordo com ele, edificar torres que prejudicam o planeta e ameaçam o futuro não será mais permitido em Nova York. O prefeito destaca que, com o projeto, a metrópole será a primeira cidade do mundo a exigir que seus edifícios parem de emitir tantos poluentes perigosos.

Para servir de inspiração ao setor, a prefeitura dará início à mudança pelos próprios prédios, com investimento de US$ 3 bilhões na reforma de edifícios públicos para torna-los menos poluentes. A previsão é de que o plano NYC’S Green New Deal tenha um aporte de US$ 14 bilhões. O objetivo é diminuir em, no mínimo, 30% as emissões de gases de efeito estufa até 2030.

 

Informações: www.nyc.gov