Acesse as melhores dicas
e informações do mercado
mercado escritorios Berrini Chucri Zaidan Marginal Offices - Postada em: 06/04/2017

Berrini concentra 25% de escritórios de alto padrão de SP

Conhecida como “Paulista da zona sul”, região abriga mais de 1 milhão de m² de imóveis corporativos

 

Um dos mais importantes polos comerciais de São Paulo, a região da Berrini e Chucri Zaidan tornou-se em poucas décadas uma das áreas paulistanas mais cobiçadas no mercado de escritórios de alto padrão. Não é à toa que o eixo é chamado por alguns de a “Paulista da zona sul”.

Dados da consultoria JLL apontam que o eixo que compreende as avenidas Engenheiro Luís Carlos Berrini e Chucri Zaidan e arredores abriga mais de 1 milhão de m² de escritórios. do total de espaços corporativos disponíveis classificados como A e AA, 25% se concentram na região. Cerca de 40% do estoque da área foram entregues nos últimos dez anos.

Com uma extensão de 6,8 km², a Berrini e Chucri Zaidan contam com 160 edifícios e mais de 990 empresas de vários segmentos instaladas, com predominância para as companhias de telecomunicações, além de tecnologia da informação (TI), seguros e previdência social. Por dia, ciruclam no eixo cerca de 288 mil pessoas.

Dados

Balanço da JLL indica que 58 edifícios são de classe A e AA, totalizando 1.173 milhão de m². Há também 61 torres de classificação B, com 384 mil m². Já 41 prédios são classe C, com 130 mil m².

A taxa de vacância (percentual de unidades vagas, calculado em relação ao total de m2 úteis de espaços) chega a 25,2% para os empreendimentos A e AA, taxa que chega a 40,3% para classe B. No caso dos imóveis classe C, a variação é de 23,5%.

A região da Berrini e Chucri Zaidan abriga mais de 1 milhão de m² de escritórios. A área concentra 25% dos espaços de alto padrão de SP
A região da Berrini e Chucri Zaidan abriga mais de 1 milhão de m² de escritórios. A área concentra 25% dos espaços de alto padrão de SP

 

Em relação ao preço pedido para locação, na região a média pedida chega a R$ 92/m²/mês para classe A e AA, enquanto que o aluguel fica em R$ 63/m²/mês para unidades B. Para a classe C, o custo é de R$ 47/m²/mês.

Chucri Zaidan

Um grande volume de lançamentos é esperado nos arredores da Av. Chucri Zaidan até 2018. Cerca de 127 mil m² de alto padrão serão lançados no período, fazendo da região o maior vetor de crescimento de escritórios em São Paulo.

Impulsionado pelo fim do potencial construtivo no setor Berrini da Operação Urbana Água Espraiada e da ausência de grandes terrenos, no final dos anos 2000 o mercado de escritórios teve seu crescimento transferido para a Avenida Chucri Zaidan. Ainda em desenvolvimento e sem as comodidades necessárias para alavancar o setor, um grande número de escritórios encontra-se atualmente vago.

Com o intuito de trazer melhorias e orientar seu avanço, foi criado em 2011, pela Prefeitura de São Paulo, o Plano Urbanístico do setor Chucri Zaidan que, através de obras de infraestrutura, ordenará o desenvolvimento do espaço.

Desenvolvimento

Antes de se tornar um dos mais disputados centros comerciais da cidade de São Paulo, a região da Berrini era um pântano da várzea do Rio Pinheiros, muito desvalorizada e sem projeções de desenvolvimento. Sua transformação ocorreu em 1975 a partir da criação do “Dreno do Brooklin”, que permitiu a ocupação da área e deu início à instalação dos edifícios comerciais na região.

Construída na década de 1970, a avenida Eng. Luís Carlos Berrini surgiu como promessa de preços de locação mais baixos do que nos arredores da Faria Lima e Paulista. Ao longo do tempo, a região desenvolveu-se, tornando-se o novo endereço de diversas empresas que antes ocupavam as regiões mais valorizadas da cidade.

A nova região Berrini/Chucri Zaidan foi redesenhada com o intuito de unir os perfis de ocupantes e de edifícios semelhantes. Alguns empreendimentos antes pertencentes à antiga região Marginal, passaram a integrar o estoque da Berrini, acrescendo mais de 208 mil m² para essa área.

Curiosidades

Entre os atuais atrativos da região, há duas estações de trem da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), 3,3km de corredor de ônibus, 3,3km de ciclovia, 4 shopping centers, 5 faculdades, fácil acesso ao Aeroporto de Congonhas e uma grande diversidade de restaurantes e serviços. Outro destaque da região é a tradicional Sociedade Hípica Paulista.

O edifício mais antigo é o condomínio Conjunto Morumbi, de 1974 e classificado como C. Já a torre com mais pavimentos é o Parque da Cidade – Tarumã, datado de 2015 e de classe B. Por sua vez, o prédio com maior área locável é o CENU – Torre Norte, inaugurada em 1999 e de classe AA.

 

Informações: www.jll.com.br