Acesse as melhores dicas
e informações do mercado
Saber quem entra e saí do condomínio é fundamental. Usar câmeras de monitoramento, mas não ter controle de acesso, por exemplo, torna a iniciativa ineficaz, já que a qualidade do projeto também depende da integração destas tecnologias Top Lists - Postada em: 09/09/2016

Cinco cuidados ao contratar uma empresa de segurança eletrônica

* Perseu Iuata

O mercado de segurança eletrônica no Brasil vem crescendo a ritmos galopantes. Segundo uma pesquisa divulgada pela SIA (Security Industry Association), a expectativa é que haja um crescimento de 20,6% em 2017, atingindo a cifra de R$ 3,7 bilhões no ano. Diante dessa previsão de alta, é importante se atentar a algumas questões bem específicas na hora de contratar um prestador de serviço nessa área. Abaixo, listo cinco pontos fundamentais antes de assinar um contrato.

1) Experiência

O primeiro item a se analisar ao contratar uma empresa de segurança eletrônica é o seu tempo de experiência. De acordo com a ABESE – Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança, existem cerca de 22 mil empresas registradas no país. Ainda assim, o setor sofre com a grande informalidade. Faltam legislações específicas. Até existem algumas normas estaduais, como o Distrito Federal que regulamenta algumas normas através da lei n° 3.914/2006, mas não há uma legislação nacional sobre o segmento. Os preços variam muito entre produtos e serviços, justamente pela ilegalidade de atuação. Nesse sentido, uma empresa com passado íntegro faz toda a diferença.

O consumidor precisa verificar se o projeto de segurança eletrônica está contando com a instalação de produtos certificados, com qualidade testada e aprovada
O consumidor precisa verificar se o projeto de segurança eletrônica está contando com a instalação de produtos certificados, com qualidade testada e aprovada

 

2) Empresas e Produtos certificados

Para garantir bons serviços, é preciso contar com bons produtos e empresas certificadas. Sendo assim, o consumidor precisa se certificar de que seu projeto de segurança eletrônica está contando com a instalação de produtos certificados, com qualidade testada e aprovada. Produtos e serviços baratos reduzem o custo final do projeto, mas aumentam as vulnerabilidades. É importante apurar se a empresa contratada possui estrutura adequada para avaliar os riscos e consultores capacitados para indicarem os melhores equipamentos para cada situação e ambiente. Além disso, produtos de baixa qualidade podem confundir o consumidor, que acaba comprando gato por lebre. Por isso, é importante buscar empresas que só trabalham com produtos homologados, com garantia de qualidade e estejam registrados nos órgãos fiscalizadores, como CREA E SSP.

3) Profissionais qualificados

Algumas empresas dispõem de profissionais com formação bastante superficial. Então, antes de contratar é importante se certificar de que a empresa tenha profissionais registrados no CREA (Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura), como exige a Resolução 1025/2009, artigos 1º a 4º. Só com profissionais de grande capacidade técnica é possível desenvolver projetos de segurança eletrônica de alto nível. Caso contrário, o amadorismo pode deixar o seu patrimônio à mercê de invasores. As empresas que oferecem um projeto executivo de segurança eletrônica têm como objetivo verificar as necessidades e possiblidades do cliente, esclarecer as principais dúvidas sobre os sistemas adquiridos e como serão utilizados, apresentando sempre as vantagens e garantias de um projeto bem elaborado.

4) Estrutura e tecnologia

Esse é um segmento que conta sempre com novidades tecnológicas. Como está em franca expansão, é comum haver novidades cada vez mais modernas na prevenção de sinistros. Então, uma empresa séria precisa estar antenada a esses lançamentos, a fim de oferecer aos seus clientes produtos e serviços de ponta. Uma boa estrutura física, como uma central de monitoramento 24 horas, por exemplo, é um fator indispensável para você, consumidor, se certificar de que está contratando os profissionais certos para o seu projeto.

Perseu Iuata Costa é sócio fundador da Japan Security, empresa com quase 20 anos de atuação no setor de segurança patrimonial
Perseu Iuata Costa é sócio fundador da Japan Security, empresa com quase 20 anos de atuação no setor de segurança patrimonial

 

5) Atendimento

Normalmente, ocasiões envolvendo violações de segurança são sempre desagradáveis e assustadoras. Por isso, é preciso se certificar de que a empresa que você vai contratar conta com um corpo de profissionais realmente preparados para lidar com essas questões comportamentais. Um momento de vulnerabilidade é normalmente acompanhado de uma forte carga de estresse, onde a atuação de um profissional habilitado é determinante. Um atendimento de qualidade é o mínimo que o cliente deve exigir.

Por fim, é importante que o cliente entenda que a responsabilidade pela elevação no nível de qualidade do setor também é dele. Ao contratar empresas de origem e prestação de serviço duvidoso, você certamente estará contribuindo para a informalidade do segmento. Buscar empresas capacitadas, com experiência e certificações de qualidade é, sem dúvida, o primeiro passo para garantir uma sociedade mais segura e protegida.

Perseu Iuata Costa é sócio fundador da Japan Security, empresa com quase 20 anos de atuação no setor de segurança patrimonial.

 

Informações: www.japansecurity.com.br