Acesse as melhores dicas
e informações do mercado
mercado condominios Cidades - Postada em: 01/09/2017

Como proteger o condomínio

Medidas e precauções colaboram para aumentar a segurança de moradores

 

Para proporcionar maior proteção a condomínios, estratégias de segurança passaram a ser adotas por diversos prédios em todo país. Projetos que unem segurança eletrônica e equipe terceirizada treinada para atuar nesse segmento são recursos essenciais nos dias atuais.

Segundo Alexandre Judkiewicz, diretor de operações nacional do Grupo GR, atitudes dos moradores também contribuem no projeto de segurança. O condômino deve seguir as normas de segurança do condomínio, avisar ao porteiro quando espera alguma encomenda, visita de familiar ou prestador de serviço, e evitar expor sua rotina em redes sociais, principalmente quando vai viajar. “Quando uma quadrilha está apta a assaltar um condomínio, eles estudam muito o perfil do morador e do prédio”, afirma.

O morador também deve ficar atento a movimentações estranhas ao redor do prédio. O Grupo GR, que atua há 25 anos no segmento de segurança patrimonial com mais de 600 condomínios atendidos, listou algumas dicas de segurança para quem vive em prédios. Confira:

Acesso de visitantes e prestadores de serviços

– Ao receber visitas de pessoas que não sejam íntimas, prefira utilizar as áreas comuns de seu condomínio, de preferência à vista dos funcionários do empreendimento.

– Ao atender visitantes, na ausência de clausura, o porteiro deve manter os portões fechados e as pessoas do lado externo do condomínio.

– Avisar o condômino sobre visitas, entregas, etc., e só permitir acesso às dependências mediante autorização do morador e devidamente acompanhado por um funcionário.

– Antes de autorizar a entrada, o morador deve sempre ter a certeza que conhece o visitante e que ele é bem vindo à sua residência.

– Evitar permitir que os empregados domésticos ou crianças possam autorizar o acesso de visitantes.

– Ao receber prestadores de serviços, é necessário identificá-los, anotar os dados de seus documentos.

Itens de segurança no condomínio

– As entradas -social e de serviço- devem possuir clausura (área de acesso entre dois portões) para que tanto condôminos como visitantes e prestadores de serviços possam passar por identificação e cadastro sem ficar expostos na rua. Da mesma forma evita-se o acesso livre ao condomínio ao abrir o primeiro portão.

– As entradas do condomínio – social, de serviço e garagem – devem ser suficientemente iluminadas, evitando-se o uso de obras de arte, de decoração e de jardinagem que obstruam a ampla visão do local à distância ou através das câmeras de vigilância.

– Os acessos aos apartamentos igualmente devem ser dotados de boa iluminação e as portas devem ser sólidas, dispondo de “olhos mágicos” ou outro dispositivo que permita a observação do lado externo.

– A guarita, que é o primeiro alvo em caso de invasão, deve ser blindada, mantida fechada durante o maior tempo possível. Para tal, é recomendada a colocação de passa-volumes para o recebimento de entregas aos condôminos e documentação por parte de prestadores de serviços, assim como a instalação de interfones para comunicação. A guarita deve ser recuada do portão, com grades altas ao redor do prédio e o portão da garagem controlado pela portaria.

– Os equipamentos de segurança (portas de entrada, portões de garagem, extintores, etc.), devem ser checados periodicamente e precisam estar em perfeitas condições.

– As chaves que forem confiadas a serviçais (faxineiras, motoristas, cozinheiras, etc.) não devem abranger todas as portas do apartamento, permitindo-se o isolamento de algumas dependências privadas, principalmente durante o repouso noturno, evitando que os empregados possam ser coagidos a abrir as portas de que possuam as chaves, surpreendendo os demais moradores.

– Nos horários de limpeza e recolhimento de lixo, as entradas do edifício devem se manter fechadas.

Entregas

– A entrega de encomendas, flores, correspondências, entre outros que não tenham sido solicitadas ou que não estejam sendo esperadas devem ser recusadas, ainda que o portador se apresente na companhia de empregados do condomínio.

– Quando recepcionar entregadores de encomendas, faça-o nas áreas de uso comum do edifício, à vista dos funcionários da portaria.

– No caso de pequenas entregas, sugere-se uma caixa na recepção com portinhola (passa-volumes), para evitar a entrada do entregador.

– Quando estiver aguardando entrega no domicílio, o condômino deve avisar/instruir a portaria para receber as encomendas, evitando assim a presença de estranhos em seu apartamento.

– No caso de entrega de encomendas, o porteiro deve avisar o condômino e solicitar sua presença na portaria.

– Na ausência do condômino, deve-se receber e guardar a encomenda para, posteriormente, ser retirada pelo morador ou entregue por um funcionário. – Jamais deve se permitir que o entregador suba e realize a entrega pessoalmente.

Cuidados da portaria

– Não permitir a saída de visitante que carregue objetos ou pacotes, sem autorização do morador visitado.

– Se observar veículo com um ou mais ocupantes estacionado nas proximidades do prédio por longo tempo ou que passe várias vezes, lentamente, parecendo estar observando a rotina da portaria e do acesso à garagem, acione a polícia.

– Ao abrir o portão da garagem, identificar o motorista e observar se não há risco de entrar alguém junto (exemplo: escondido, abaixado no banco traseiro).

– Na entrada ou saída de pessoas do condomínio, somente abrir o portão após verificar se não há suspeitos nas proximidades.

Cuidados do morador

– Separe antecipadamente todas as chaves e controles que precisará para entrar no condomínio, agilizando ao máximo o seu acesso.

– Ao sair para fazer caminhada pelas ruas do bairro, procure sempre estar acompanhado(a) por vizinhos / parentes / amigos e evite ruas desertas ou mal iluminadas.

– Não acione portas e portões automáticos de longe, especialmente se observar pessoas estranhas nas proximidades.

– Alterne as ruas que utiliza para chegar a seu condomínio. Prefira pontos que lhe são conhecidos e movimentados.

– Mantenha sempre com você os telefones da portaria e do síndico. Se notar algo estranho, avise imediatamente ou peça ajuda.

– Desconfie de pesquisas que mapeiam a renda ou hábitos de sua família. Não divulgue informações pessoais e oriente seus familiares e amigos a agir da mesma forma.

– Ao chegar ou sair do condomínio ou da garagem, observar se não há pessoas estranhas ou suspeitas. Se houver, aguardar ou dar voltas até sentir-se em segurança.

– Ao estacionar seu veículo na garagem, mantê-lo trancado, sem pacotes nem objetos à vista e com o alarme ligado.

– Alertar a portaria para que a mesma receba as encomendas feitas ou o avise para que vá atender ao entregador na recepção/portaria.

– Quando solicitado à portaria, verificar se o assunto lhe diz respeito, só então descer à recepção para atender.

– Não deixar cópias das chaves do seu apartamento na portaria.

– Em caso de alguma situação suspeita, solicitar o apoio policial através do tel.: 190.

– Não entre em elevadores com estranhos ou pessoas suspeitas. Caso necessário diga algo como “puxa, esqueci minha chave’”.

– Evite dar informações a estranhos de hábitos do condomínio.

 

Informações: www.grupogr.com.br