Acesse as melhores dicas
e informações do mercado
Imagem: Casa em Orlando/ 
Divulgação Giro pelo mundo - Postada em: 27/07/2020

Corretora de imóveis dá dicas para quem tem casa de férias em Orlando

A crise gerada pela Covid-19 trouxe impacto para a maioria dos mercados no mundo todo, inclusive o imobiliário, mas corretores de imóveis da Flórida enxergam oportunidades para quem tem imóvel de férias no Estado.

Orlando, cidade mundialmente conhecida pelos parques temáticos e outlets, é também muito procurada por renomados congressos, grandes feiras e workshops mundiais. O mercado imobiliário local estava em constante crescimento até o início da pandemia. Com a retomada da abertura dos parques e comércios na cidade, naturalmente o mercado volta a se movimentar, ainda que em passos vagarosos. E diferente do que muitos pensam, os brasileiros não são os que mais viajam para a cidade do Mickey, nem tampouco os que mais compram e alugam casas por lá.

Foto: Priscila Triska/ Divulgação
Foto: Priscila Triska/
Divulgação

A corretora de imóveis especializada no mercado da Flórida, Priscila Triska, oferece dicas e orientações para quem já tem um imóvel em Orlando e está com dificuldade em manter os custos da casa em meio à pandemia que se alastrou pelo mundo. “Não existe receita de bolo para investimento, tudo depende da necessidade de cada cliente”, ela afirma.

Confira as dicas da especialista:

  1. Refinanciar ou adiar pagamentos: a corretora garante que se a casa está financiada é possível adiar os pagamentos para o final do financiamento, ou até mesmo refinanciar para diminuir suas parcelas.
  2. Aluguel de longo prazo: é possível cadastrar sua casa em um sistema para aluguel de longo prazo: quatro, seis, oito e até doze meses. “A ideia dessa opção é atender as famílias que estão se mudando na cidade, procurando novos imóveis, lembrando que esse mercado nunca parou”, diz Triska.
  3. Venda: é bem provável que a pessoa comprou um imóvel de férias quando o dólar estava mais baixo do valor atual, e vender hoje é uma possibilidade de dolarizar o investimento. Nesse caso, o proprietário pode solicitar a avaliação do corretor em até 24h.
  4. Permuta com imóveis no Brasil: se a casa estiver quitada e o proprietário quiser “voltar” seu investimento para o Brasil, a prática é legal nos EUA e na cartela de clientes de Priscila Triska há pessoas interessadas na troca.
  5. Mudar o marketing da operação para o mercado local: a corretora tem parceria com administradoras especializadas de casas de férias, e nesse momento ela acredita que o marketing é crucial para o resultado do negócio. “A demanda reprimida já está acontecendo, e o americano é o primeiro que vai viajar para Orlando diante as impossibilidades dos demais países”, explica Triska.

Em seu currículo como corretora de imóveis nos Estados Unidos, Priscila tem a venda de bens para celebridades, como o humorista Leandro Hassum, empresários e investidores. A  especialista diz que continua fechando negócios com clientes brasileiros nos Estados Unidos e atende remotamente mesmo antes da pandemia. “Já vendi casa para muitos brasileiros que só conheci virtualmente”, diz.