Acesse as melhores dicas
e informações do mercado
Jamais comprometa mais do que 30% da renda mensal no financiamento do imóvel. Não apenas no caso do financiamento, mas para toda vida, é sempre bom ter uma reserva para imprevistos Financiamento - Postada em: 05/10/2015

Crédito imobiliário movimentou R$ 56,6 bi no ano

Nos oito primeiros meses do ano, o mercado de crédito para compra e construção de imóveis alcançou R$ 56,6 bilhões, com recursos da poupança pelo SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo). O montante ficou 22% menor que igual intervalo do ano passado.

Somente em agosto, as concessões somaram R$ 5,87 bilhões, quantia 1,5% abaixo de julho e 35,9% inferior ao mesmo mês de 2014. Os dados foram divulgados pela Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário). Nos últimos 12 meses até agosto, o volume de empréstimos perfez R$ 96,7 bilhões, um recuo de 13,5%.

Em relação aos imóveis financiados, foram registrados em agosto 28,2 mil unidades, ligeira alta de 0,7% sobre julho e redução de 36% face um ano antes. Já de janeiro a agosto, 256,1 mil residenciais foram financiados, o que representou uma retração de 27% na mesma comparação anual. Em 12 meses até agosto, foram contabilizadas 443,4 mil unidades financiadas, uma diminuição de 17,6%.

Principal recurso do crédito para imóveis, poupança continuou a ter mais saques que depósitos. Nos oito primeiros meses do ano, saldo de captação líquida ficou negativa, em R$ 45,8 bilhões
Principal recurso do crédito para imóveis, poupança continuou a ter mais saques que depósitos. Nos oito primeiros meses do ano, saldo de captação líquida ficou negativa, em R$ 45,8 bilhões

 

Poupança

Principal recurso do crédito imobiliário, a caderneta de poupança continuou a anotar saídas líquidas superiores aos depósitos. Em agosto, a captação líquida ficou negativa em R$ 7,2 bilhões. No acumulado do ano, o saldo foi negativo, em R$ 45,8 bilhões.

Os saques cresceram 29% entre janeiro e agosto sobre idêntico período de 2014. Por sua vez, os depósitos subiram 22% na mesma comparação.

Os estoques reportaram R$ 500,8 bilhões em agosto, uma ligeira alta de 0,3% sobre um ano antes.

 

Informações: www.abecip.org.br