Acesse as melhores dicas
e informações do mercado
mercado Mercado - Postada em: 27/02/2018

Mercado vive expectativa de retomada em 2018

Decisão do Copom em cortar a taxa básica de juros em fevereiro deu novo ânimo à economia e estimula crescimento

 

Em 2018, de acordo com avaliação do Secovi-SP (Sindicato que reúne as empresas do Estado de São Paulo dedicadas à compra, venda e locação e administração de imóveis), o mercado imobiliário brasileiro tende a crescer 10%.

A decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), divulgada em fevereiro, de cortar a taxa básica dejuros (Selic) para 6,75% ao ano – de acordo com dados atualizados do Banco Central do Brasil – deu novo ânimo à economia e estimulou o crescimento.

Logo em seguida, os principais bancos anunciaram nova redução das taxas de juros cobradas no crédito para pessoas físicas e empresas, o que propiciou o efeito psicológico positivo, também para o consumidor.

A redução da taxa Selic aumenta a atratividade da poupança, e da poupança vem mais possibilidade de crédito para aquisição de imóveis. Esse também tema será discutido no Inside Imob – Real Estate Summit, maior evento de inteligência imobiliária da América Latina, que acontecerá no dia 8 de março, no Centro de Eventos Expo D. Pedro, em Campinas.

“Considerando a expectativa de crescimento da economia do país, 2018 será o ano da retomada do mercado imobiliário. Depois de uma longa fase de euforia, e posteriormente a fase negativa, este ano deve ser um pouco mais turbulento por conta das eleições. Mas o pior da crise está passando, embora o desemprego ainda continue, 2018 deve ser o ano da transição entre a recessão e um futuro mais promissor em 2019”, comenta Edgar Ueda, empresário do segmento imobiliário, escritor e palestrante.

Mercado imobiliário pós-crise

A crise econômica fez com que muitas empresas melhorassem seus processos, reduzissem custos e lançassem apenas empreendimentos adequados à realidade do mercado, fazendo com que os produtos fossem melhores e mais propícios a compra.

No momento de expectativa de recuperação econômica do país, a estimativa para este ano é que a população vá em busca da casa própria. Roberta Bocaneri Oliveira, secretária, é exemplo disso. Ela comprou o primeiro imóvel próprio, na planta, logo no início de 2018.

“Eu e meu marido sempre guardamos dinheiro pensando no futuro investimento em uma casa própria. Assim que surgiu a oportunidade, sentimos que a situação econômica do país estava melhorando, e a simulação para um novo apartamento deu certo. Ficamos muito realizados. O apartamento é no interior de São Paulo, em Paulínia, e vai ser entregue daqui a dois anos. Estamos muito felizes com tudo isso”, relata.

Os anos de 2018 e 2019 são promissores para que o mercado imobiliário volte ao seu pleno funcionamento.Os resultados do ano passado mostram que o pior ficou para trás. Os preços devem se estabilizar antes de retomarem a trajetória de alta interrompida pela recessão.

Nos últimos anos, as incorporadoras focaram em imóveis compactos, na capital paulista, direcionados mais para investidores. Mas, com a queda da taxa de juros, o mercado contribui para a retomada da produção para as rendas média e média-alta.

O futuro do mercado imobiliário

Esse é o momento oportuno para investidores, já que o mercado possui estoque (produtos prontos), e os ativos financeiros estão menos atrativos, gerando possibilidade de negócios seguros e com boa estruturação de compra para valorização futura, ou imóvel para geração de renda. A inflação baixa e as novas perspectivas de menor turbulência econômica e política geram possibilidade de investimentos a longo prazo no mercado imobiliário.

As incertezas geradas pela eleição em 2018 representam o único obstáculo para um crescimento sólido nos próximos anos. Se nenhuma surpresa vier, o futuro deve ser lucrativo para investidores, incorporadoras, construtoras e corretores de imóveis.

Por isso, é de grande importância ter auxílio de profissionais do ramo imobiliário para obter êxito sem eventuais dores de cabeça na hora de investir, vender ou comprar um imóvel. A consulta a profissionais capacitados, que entendem da inteligência do mercado imobiliário, para estudar estrategicamente e apontar os prós e contras para, assim, alcançar a melhor oferta e melhor custo-benefício do mercado, é primordial.

“As transformações tecnológicas e mudanças estratégicas nos dias de hoje são diárias. Por isso, temos que estar preparados para alinharmos o melhor caminho do investimento, da venda e da compra. Precisamos estar engajados e antenados para gerar bons negócios. Instrução e inteligência sempre em primeiro lugar para evitar riscos desnecessários”, pontua Ueda.

 

Informações: www.insideimob.com.br