Acesse as melhores dicas
e informações do mercado
Imagem: Divulgação Cidades - Postada em: 14/09/2020

Metade dos Incorporadores que atuam em SP já incluiu espaço para home office nos lançamentos

Um levantamento da RB Capital Asset apontou que 50% das incorporadoras com lançamentos residências em São Paulo já incluíram espaço para home office nos projetos residenciais. O dado é parte do resultado de um levantamento que a RB Capital Asset fez junto a 37 incorporadores na cidade de São Paulo, com perfis diversos e que atuam, principalmente, no segmento residencial. O estudo contemplou um Valor Médio Anual de Lançamentos (VGV Bruto) de R$ 9,3 bilhões. De acordo com o SECOVI (Sindicato da Habitação), o VGV total em São Paulo em 2019 foi de R$ 23,4 Bilhões. Em uma aproximação, é possível dizer que o levantamento conseguiu abranger uma amostra de aproximadamente 40% do total. Segundo a RB, a ideia era traçar um panorama da visão geral dos incorporadores em um mundo pós-pandemia do novo Covid-19, mapear eventuais mudanças de estratégias, projetos, grau de confiança e perspectivas de retomada.   

Sobre os projetos em planejamento para o futuro, houve mudanças na concepção em decorrência da pandemia, e a nova dinâmica do home office. Aproximadamente 50% dos incorporadores do levantamento já adaptaram os seus projetos para incluir um espaço de trabalho nos empreendimentos. Destes, 48% já incluíram escritório dentro do apartamento. 27% colocaram um espaço compartilhado nas áreas comuns do empreendimento. 29% adaptaram as plantas para uma maior valorização dos cômodos mais utilizados, como cozinha e varanda. Já 40% não fizeram mudanças nos Projetos que tenham relação com home office ou pandemia. Como as respostas foram múltiplas, o percentual é superior a 100%.  

Outro dado relevante apontando é que 64% dos incorporadores analisados não tiveram suas vendas atingidas de maneira expressiva, o que mostra que mesmo que os stands de vendas físicos estejam fechados, as vendas online funcionaram de forma razoável. As vendas caíram de forma expressiva apenas para 32% dos entrevistados. Além disso, para 73% dos entrevistados, não houve atrasos nos empreendimentos residenciais em obras na cidade, enquanto 16% não possui obras em São Paulo e 10% estão com atrasos controlados.   

Sobre o cronograma para novos lançamentos, de todos os incorporadores, 78,4% decidiram postergar, entre 3 a 6 meses o cronograma de lançamentos. Seguiram com o mesmo cronograma, ou tiveram poucas postergações com relação ao que foi planejado antes da pandemia (até 3 meses) 16,2%, e apenas 5,4% postergaram mais que 6 meses os cronogramas, de forma geral.  

Com relação aos projetos de apartamentos compactos em regiões centralizadas na cidade de São Paulo e o cenário de home office, o resultado foi bastante equilibrado. Divergências de respostas mostram que o tema ainda divide opiniões. Compactos devem seguir mesma trajetória para 37% das incorporadoras ouvidas. Compactos vão perder atratividade para outros 37% e 24% dos incorporadores acreditam que mesmo com o cenário de home office e pandemia, a perspectiva será favorável aos compactos.  

Outro ponto interessante é sobre uma potencial mudança da trajetória de valorização imobiliária dentro de São Paulo. De acordo com o levantamento, as regiões mais centralizadas, que vinham se valorizando antes da pandemia, devem manter as maiores valorizações mesmo pós-pandemia para 81% dos entrevistados.  

De acordo com Marcio Rocha, sócio gestor responsável pela estratégia na RB Capital, “o levantamento traz uma série de tendências para os próximos anos. Por exemplo, um ponto que parece ter vindo para ficar é a efetividade dos stands online para os lançamentos, o que além de permitir maior agilidade e publicidade do empreendimento, reduz custos elevados de marketing para os projetos. Outro dado relevante é que a pandemia mudou os hábitos das pessoas e, isso tem impacto direto nas necessidades de moradias, principalmente, no que se refere ao trabalho remoto. Os incorporadores já fizeram essa leitura e estão adaptando suas plantas às novas necessidades aos moradores da cidade de São Paulo”, afirma o executivo.   

SOBRE A RB CAPITAL ASSET 

Ao longo de sua trajetória, a RB CAPITAL ASSET construiu uma importante presença no segmento de incorporação residencial, com mais de 120 projetos investidos, através de mais de 40 incorporadores diferentes. No momento, estamos com 9 projetos em desenvolvimento na cidade de São Paulo e analisando outros 10 que devem ser finalizados nos próximos meses. Nossa expectativa é que tenhamos para os próximos anos um total de mais de R$ 2 bilhões em Valor Geral de Vendas (VGV) na cidade.