Acesse as melhores dicas
e informações do mercado
adega Korman Arquitetos_cred Gui Morelli Decoração - Postada em: 09/05/2019

O que você precisa saber para ter uma adega em casa

Dicas ajudam a escolher entre um modelo pronto ou um ambiente personalizado e ensinam sobre a iluminação para o espaço

 

Para os amantes de vinho, a adega é um item de desejo para a casa. O mercado oferece diversas opções para as coleções da bebida: desde modelos prontos, que funcionam como uma geladeira, a espaços totalmente personalizados para o acervo de rótulos. As arquitetas Ieda Korman, do escritórioKorman Arquitetos, e Cris Paola, do Studio Cris Paola, orientam para a escolha da melhor alternativa.

Para quem deseja ter uma adega em casa sem passar por obras, a opção mais indicada é comprar um módulo pronto. Há várias opções de tamanhos, formatos e fabricantes, com capacidades que variam de 14 até 218 garrafas. Apesar de exigirem apenas um ponto de elétrica para funcionar, é preciso ter atenção às medidas. “Deve haver, no mínimo, 10 cm de distância entre a adega e o móvel, para que ela possa respirar”, explica Ieda Korman.

Já um espaço construído especialmente para a adega permite personalizar o layout de acordo com o acervo de garrafas, além dos materiais e cores. Mesmo oferecendo mais liberdade, o projeto deve respeitar alguns parâmetros. “O piso frio é a melhor alternativa e deve haver condições para passar um duto para o aparelho de ar, que fica em área externa à adega. As paredes e o piso são isolados com mantas e só após a parte técnica que a marcenaria é executada”, esclarece a arquiteta.

“Se não optar por uma adega climatizada, as paredes podem ser de texturas amadeiradas”, aconselha Cris Paola. Quanto à posição das garrafas, a arquiteta indica que elas fiquem na horizontal. “Assim, a rolha estará em contato constante com o vinho, o que a mantém úmida e intacta, contribuindo para a conservação e evitando a entrada de oxigênio.” Outra dica é ter um apoio, seja um móvel ou um balcão, para manusear a garrafa retirada.

A iluminação é outro fator que influencia na conservação do vinho, pois a luz pode gerar um aumento de calor, fazendo com que a bebida oxide e perca suas características. “O ideal é que a adega esteja no lugar mais escuro possível e que as bebidas estejam protegidas dos raios UV”, afirma Cris.“Trabalhamos com iluminação indireta, para que a luz não incida sobre as garrafas, mas seja apenas refletida”, complementa.

 

Informações: www.kormanarquitetos.com.br e www.studiocrispaola.com.br

 

Fotos: Gui Morelli